prisionais01636392699293757515
Área territorial alargada do tribunal de execução de penas de Évora

Estabelecimento Prisional de Alcoentre

Conheça os contactos e a localização da prisão de Alcoentre.

Pode contactar o Estabelecimento Prisional de Alcoentre

por telefone

  • (+351) 263 480 100

por fax

  • (+351) 263 486 719

por email, através do formulário


Horário de visitas

Sextas-feiras

visitas abertas a todos os reclusos

  • das 9h00 às 10h00
  • das 10h30 às 11h30
  • das 14h30 às 15h30
  • das 16h00 às 17h00

Sábados ou domingos

visitas por grupos de reclusos, de acordo com o calendário mensal, que pode ser consultado contactando a prisão de Alcoentre

  • das 9h00 às 10h00
  • das 10h30 às 11h30
  • das 14h30 às 15h30
  • das 16h00 às 17h00


Localização

Morada

  • Rua Conselheiro Arouca
    2065-016 Alcoentre (Azambuja) 

Mapa


Características

Com o objetivo de constituir uma colónia agrícola destinada a reclusos em cumprimento de pena de prisão maior, em regime de trabalho agrícola, foi inaugurada, em 18 de janeiro de 1944, a Colónia Penitenciária de Alcoentre.

Distribuídos por uma área de 650 hectares, foram construídas as instalações prisionais, bairro de funcionários, oficinas e, na sua maior parte, as instalações agro-pecuárias.

Atualmente, as instalações prisionais são constituídas por três zonas distintas:

  • O Bloco Central, que integra três alas prisionais, área oficinal, cozinha, enfermaria, escola, ginásio, biblioteca, setor de segurança e instalações para o pessoal, sendo que todas estas instalações, à exceção de uma ala, que já possuía blocos sanitários, foram criadas ou objeto de total remodelação a partir de 1996.
  • O Pavilhão Complementar, com duas alas, ginásio e polidesportivo.
  • Três pavilhões destinados a alojar reclusos colocados em regime aberto, construídos em 1993.

Dadas as caraterísticas do estabelecimento, foi instalado em julho de 1993, pelo Centro Protocolar de Justiça, um Centro de Formação Profissional essencialmente vocacionado para as áreas de agro-pecuária.
A população prisional é essencialmente constituída por reclusos condenados em cumprimento de penas de prisão superiores a três anos, maioritariamente oriunda da área da Grande Lisboa.

 

Ocupação laboral

Explorações Económicas:

  • Oficinas - carpintaria, serração de madeiras, mecânica-auto e serralharia.
  • Silvicultura/agro-pecuária - horticultura, viticultura, criação de bovinos e caprinos e avicultura (perdizes)
  • Agro-Industrial - Vinicultura- produção e engarrafamento do vinho (DOC e de mesa) com marca registada "Chão de Urze".

Serviços de Manutenção

  • Central elevatória de águas, barbearia, lavandaria, cozinha, construção civil, serviços elétricos e estação de serviço.

Trabalho exterior ao abrigo de Protocolos.

 

Classificação

  • Classificação de segurança: Alta
  • Classificação de grau de complexidade: Elevado

Information updated on 07 November 2018 11:11