Livro de Estilo

Escrita simples

Usar palavras simples

Optamos sempre pelas palavras mais simples e fáceis de compreender. Usamos palavras conhecidas do leitor a que nos dirigimos. O nosso objetivo é usar uma linguagem que esteja o mais próxima possível da linguagem natural usada pelas pessoas no dia-a-dia, sem esquecer o rigor técnico exigido. Sempre que se tratem de questões sob fundamentação legal, esta deve ser referida, o que não significa que não deva existir sempre a explicação de forma a ser compreendida claramente.

Porquê?

O leitor não deve ter de se esforçar para compreender o que lhe dizemos. O nosso objetivo é que, ao ler o que escrevemos, o leitor fique sem dúvidas. Isto poupa trabalho ao leitor e aos nossos serviços. Um leitor que compreende à primeira o que lhe dizemos não procura os nossos balcões nem linhas telefónicas para esclarecer dúvidas.

Escrevemos Não escrevemos
dizer verbalizar
maiúscula capital
fazer efetuar

Isto não significa que vamos deixar de ser rigorosos, nem que vamos usar expressões coloquiais.

 

Usar palavras comuns e evitar termos legais ou técnicos

Nem todos os leitores são especialistas na área sobre a qual escrevemos. Se usarmos termos legais ou técnicos desnecessários, podem não compreender o que escrevemos, ou ter de fazer um esforço grande para compreender.

Sempre que possível, vamos usar palavras acessíveis para quem não percebe do assunto sobre o qual falamos. Se precisarmos de referir termos legais ou técnicos, devemos explicá-los.

Evitamos as expressões legais em latim, a menos que não exista outro termo para aquela designação nem possam ser traduzidas (ex: habeas corpus). Nesse caso, devemos sempre acrescentar uma explicação em linguagem clara. As restantes devem ser substituídas por expressões em português (ex: sine qua non deve ser substituído por “indispensável” ou “essencial”).

 

Fazer frases curtas

Não escrevemos frases com mais de 35 palavras. As frases curtas são mais fáceis de compreender.

 

Fazer parágrafos curtos

Os parágrafos devem ter até 5 linhas. Os parágrafos com mais de cinco linhas produzem manchas de texto grandes, que obrigam a um esforço maior de compreensão e desincentivam a leitura.

 

Respeitar algumas regras quando escrevemos títulos e destaques

Títulos

Os títulos devem ter, no máximo, 65 caracteres. O Google não apresenta mais de 65 caracteres do título nos resultados de pesquisa.

Os títulos não devem ter símbolos nem acrónimos ou abreviaturas, a menos que sejam comprovadamente fáceis e rápidos de identificar (e de preferência mais conhecidos que a palavra a que se referem). Por exemplo, NATO.

 

Sumários, resumos ou destaques (no site)

Os sumários, resumos ou destaques devem ter, no máximo, 150 caracteres. Devem ser apelativos mas diretos e objetivos. Devem terminar com um ponto final (para que os programas de tradução de texto para áudio saibam onde terminam). Não devem repetir frases contidas no título ou no corpo do texto.

 

Alinhar os conteúdos à esquerda e os números à direita nas tabelas

Este tipo de formatação facilita a compreensão do texto e a comparação de valores dentro das tabelas.